Quando As Roupas Fazem ESCÂNDALO!

Posted By Luiz Paulo Xavier de Sá on jan 22, 2017 in Cultura


Share

Cada temporada de moda é difícil escapar à questão do código vestimentar quando a roupa vira escândalo. TENUE CORRECTE EXIGÉE, QUAND LE VÊTEMENT FAIT SCANDALE é  um convite a rever os escândalos na história da moda desde o século XIV até nossos dias. Uma exposição original com cerca de 300 peças de vestuário e acessórios, retratos, caricaturas e pequenos objetos que quebram códigos e valores morais. Vestido para homens, calças femininas, smoking para mulheres tudo que marcou uma ruptura com convençōes.

Desde a Bíblia as roupas estão intimamente relacionadas com o pecado original. Adão e Eva viviam nus, levando uma vida de prazeres, e com uma folha começou a idéia de pudor. Na Idade Média as regras em vigor impostas para se vestir são muitas: batismo, comunhão, casamento e luto ou festa. Há também regras de vestuário que se aplicam ao poder do povo como o retrato de Marie Antoinette vestida com uma camisa que fez um tal escândalo e teve que ser substituído por outro em um vestido mais convencional. A política contemporânea também tem seus exemplos como a gola Mao, usado pelo ministro Jack Lang em 1985 para a Assembleia Nacional desenhada por Thierry Mugler

O aparecimento de moda unissex 1960, com as mulheres se apropriando do guarda-roupa masculino: chapéu, casaco, calças também está na exposiçāo. As precursoras desta “androginia” surgiram no século XVII com as aristocratas inglesas que gostavam de vestir roupas do sexo masculino. Marlene Dietrich e seu smoking, Gabrielle Chanel que contribuiu a masculinisar a silhueta feminina. Elsa Schiaparelli e Yves Saint Laurent validam definitivamente a entrada das calças no vestiário feminino. No entanto, so foi em 2013 a revogaçao do decreto do Acto de 1800 que permitiu oficialmente as mulheres a usá-lo em todos os momentos! Por seu lado, os homens também adotaram roupas femininas como a saia criada por Jean Paul Gaultier, e que hoje ja se banalisan em coleções de jovens designers.

O Desafio do excesso se percebe nos saltos vertiginosos, penteados do século XVIII; no muito transparente, no muito decotado, no muito justo, no muito rasgado, nas mini-saias de Mary Quant, criaçoes de André Courrèges, Pierre Cardin e Paco Rabanne.  Casacos de peles e penas foram objetos de vários escândalos no século XVIII, quando uma pessoa usa o animal como ornamento.

A exposição termina com roupas, que desde 1980 a 2015, foram manchetes de revistas. Estes incluem, entre outros, a coleção (primavera/verão 2000) de John Galliano para a Dior que foi inspirada nos mendigos ou mais recentemente; a coleção de Rick Owens (primavera/verão 2015) revelando a anatomia masculina.

“Como devo me vestir? As escolhas de roupas e o que elas revelam sobre valores e tabus. Como consultor de estilo, eu mesmo, não poderia deixar de aconselhar essa exposição à vocês! No Museu de Artes Decorativas, ao lado do Louvre, até dia 23 de abril.

Tenue correcte exigée : Quand le vêtement fait scandale
Musée des Arts décoratifs
107, rue de Rivoli
75001 Paris

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Translate »