PARIS RDRG

Rive Droite & Rive Gauche: As melhores dicas de Paris e da França


Share

Começa amanhã dia 8 de novembro! Durante um mês, a mais chic das griffes francesas, Hermès investe o Grand Palais com uma bela exposição que comemora Leïla Menchari, criadora das Vitrines de Hermès de 1978 a 2013, reconstituindo 8 vitrines nas galerias desse monumento parisiense.

Leïla Menchari, uma graduada pintora tunisina de Belas Artes, chegou a Hermes em 1961 e tornou-se diretora artística no comando das vitrines das lojas da marca em 1978. Nesse 35 anos de carreira ela produziu mais de 150 vitrines entre as quais; muitas que nos faz viajar num sonho quando passamos na Flagship store do 24 Faubourg Saint-Honoré. Reparem na influência que suas origens exercem no gosto para decorações orientais e sedas.

Um conto de natal antes do tempo …até dia 3 de dezembro.

Hermes – A Tire d’Aile – Grand Palais
De 8 de novembro a 3 de dezembro de 2017
3 Avenue du Général Eisenhower 75008 Paris

Read More
Share

Eu já tinha escrito há muitos anos atrás sobre esse que é um dos meus restaurantes preferidos em Paris. Aliás foi o primeiro restaurante que fui na primeira viagem à Paris quando tinha 21 jovens anos com o dinheiro oferecido pelo meu pai, que além de ser o melhor pai do mundo é um verdadeiro gourmet. Volto a falar dele porque agora esta pilotado por um novo e jovem chefe importado de Copenhague: Andreas Møller.

O mais dinamarquês dos restaurantes, o Flora Danica foi aberto por iniciativa do pequeno reino de 6 milhões de almas, é uma verdadeira instituição escandinava em Paris. Situado na Maison du Danemark no alto do Champs-Elysées, ele é famoso pelo seu salmão de puristas grelhado à unilateral e suas divinas tartines típicas chamadas “smorrebrod”. Mas também pelo salmão selvagem defumado, arenques e filés de rena. Decoração contemporânea e elegante, é uma alegria nos dias de sol para quem consegue reservar uma mesa no pátio no almoço.

No complexo da Maison du Danemark você tem também um restaurante gastronômico, o Copenhague, uma lanchonete para lanchinhos rápidos e uma boutique com produtos de design escandinavos. Não deixe de terminar sua refeiçao com um bom Aquavit!

Flora Danica
142, Avenue des Champs-Elysées 75008 Paris
Tel. : 01 44 13 86 26

 

Read More
Share

O Museu Maillol está com uma exposiçāo ótima da « pop art » americana da pós-guerra. Os artistas principais como Robert Rauschenberg, Jasper Johns com esculturas monumentais e telas de Claes Oldenburg, Tom Wesselmann mais serigrafias de Andy Warhol e pinturas de Jim Dine e Roy Lichtenstein.
Icons That Matter!

A coleção é do Whitney Museum of American Art de Nova York, iniciada por Gertrude Vanderbilt Whitney que inclui obras-primas do pop art e sessenta delas são apresentadas pela primeira vez em Paris. Divertida, fácil de visitar e um programa para todas as idades! Até dia 21 de Janeiro.


Musée Maillol – Pop Art – Icons That Matter
61 rue de Grenelle 75007 Paris

Read More
Share

Confesso para vocês que mais o tempo passa mais meu paladar gosta de uma cozinha simples privilegiando produtos de qualidade sem muito molho ou cremes que disfarçam o verdadeiro paladar do que se está comendo. Por isso sou mais sensível à grelhados e a cozinha italiana. Mas existem excepções! O Ze Kitchen Galerie é uma delas e talvez o meu restaurante preferido em Paris. Só descobri que tinha uma estrela no guia Michelin depois de ter almoçado lá, há já um ano. Tenho voltado e cada vez mais surpreendido pela genialidade do simpático e excente chef William Ledeuil. Em torno de uma cozinha de vidro, para seguir ao vivo a sua equipe, a gente se apaixona pelos sabores do sudeste asiático (Tailândia, Vietnã, Japão) onde o chef busca sua inspiração.

Açafrão, wasabi, gengibre … muitas ervas, raízes, especiarias e condimentos do fim do mundo que inovam as receitas clássicas francesas. No almoço, só o menu do dia com preço abordavel e com varias opções de entrada, prato e sobremesa. Na mesma rua o Kitchen Galerie Bis, KGB para os íntimos! O bistrot «irmão» do restaurante estrelado também surpreende com pratos deliciosos. Um must do se você vem a Paris. Para fechar com chave de ouro, William Ledeuil abriu recentemente um restaurante italiano que vou contar logo que eu visitar. «En Attendant», bon appetit e não deixe de clicar a lista: restaurantes do PARIS RDRG que experimentamos e adoramos!


Ze Kitchen Galerie

4 Rue des Grands Augustins, 75006 Paris
Tel.: 0144320032

Kitchen Galerie Bis
25 Rue des Grands Augustins, 75006 Paris
Tel.: 0146330085

Read More
Share

Fashion Week em Paris então vamos falar de modae de sapatos luxuosos para homens! O que era um privilégio feminino é agora acessível também para o sexo masculino. São verdadeiras obras originais misturando materiais nobres, peles, pedras e lantejoulas. Caros e extremamente originais para quem tem o look certo e a ocasião apropriada para calçar tais criações. Fiz uma seleção do que tem de mais design e luxo. Para quem tem uma festa «red carpet» em vista; ficam minhas dicas.

O «Foxley» do Jimmy Choo todo pespontado com micro pontos em metal e seus «ponpons» com cristais pretos garante a quem vestir de não passar desapercebido.Tem a versão em veludo efeito madeira ou com «paillettes» com um toque de Hollywood para um black tie; ou simplesmente com jeans e uma camisa lisa branca ou preta.
Mais simples o modelo em jacquard «camouflage» que é o «print» do momento em qualquer coleção de moda que se preze. Tem também o «Derbie» com tachas em aço cinza grafite no bico que bem usado é muito chic.

O famoso Louboutin e suas solas vermelhas também tem para homens. Escolhi um modelo de inverno com flanela tartan e bico tacheado e um mais sóbrio com tecido «Prince de Gales». Para quem não consegue sair do clássico vai de lambuja um modelo com veludo que casa com tudo e não chama a atenção, mas guarda seu design único. Mas tem que fazer frio para justificar o uso!

E para fechar no tema inverno um par de mocassins da Prada com uma aplicação de pele de cabra, sei lá de onde, em preto ou vermelho para quem passa férias em Saint-Moritz, Aspen ou Lech. Eu mesmo vou para Cervinia mas dá vontade de ter um! Não tem como pisar na bola! Para qualquer acessoria em Paris, pode me contatar no link: www.lizparis.com

Read More
Share

 

2017 marca o centenário do nascimento de Irving Penn (1917-2009), um dos mestres da fotografia do século XX. Até 29 de janeiro de 2018, a primeira grande retrospectiva dedicada a Irving Penn na França desde sua morte acontece no Grand Palais.

Ela traça os setenta anos da carreira do artista americano. Mais de 240 fotografias com uma visão completa de todos os principais temas de seu trabalho: moda, naturezas mortas, retratos, nus, cenas de rua, fotografados no início dos anos cinquenta em Paris, Londres e Nova York. Irving Penn tem uma simplicidade elegante eum bom gosto pelo minimalismo.

A exposição abre em cenas de rua em Filadélfia e Nova York, imagens do sul dos Estados Unidos, México, Europa devastada pela guerra e suas primeiras vidas de cor. Entre 1947-1948, fotografou artistas, escritores, costureiros e de Salvador Dali a Alfred Hitchcock.

Enviado a Paris pela revista Vogue, Penn foi um verdadeiro mestre dos retratos de moda. Seus retratos representam Picasso, Jean Cocteau, Marlene Dietrich, Francis Bacon posando em frente à uma cortina pintada de seu estúdio.

A exposição termina com suas mais recentes fotografias e retratos de moda, incluindo personalidades como Tom Wolfe, Truman Capote, Alvin Aley, Ingmar Bergman e Zaha Hadid. Expo para quem gosta de fotografia, moda e arte. Não perca!

Irving Penn – Grand Palais – até dia 29 de janeiro de 2018
3 Avenue du Général Eisenhower, 75008 Paris

 

Read More
Share

 

O PARIS RDRG participou com a exposição do Brasil em 2013 sob o comando da eficaz Helen Kupfer do Paris Mania, amiga nossa e uma das curadoras do evento no Le Bon Marché. Depois do Brasil e Japão a loja de departamentos mais chic de Paris recebe as marcas mais emblemáticas da Itália. Moda, beleza, design, arte, esporte e gastronomia na exposição “La Famiglia Rive Gauche”.

Mais de 200 marcas, e em cada andar, um universo diferente a ser descoberto com muita moda, acessórios, produtos de beleza, bicicletas, louças, objetos e brinquedos sob as instalações do artista Edoardo Tresoldi.

Na La Grande Épicerie, a parte de alimentação com molhos, dôces, massas e restauração preparada no Pasta Bar. E Como o café é uma tradição forte na Itália, o Bon Marché oferece uma experiência única de imprimir o seu retrato na mousse cremosa de um « café latte ». O barista cuida de reproduzir sua foto no café.

A outra idéia divertida é da « Tote-bag » customizável com o brasão de família. Você desenha eles imprimem! Até 22 de outubro com direito a degustações e diferentes workshops de moda.

Le Bon Marché – La Famiglia Rive Gauche
24 Rue de Sèvres, 75007 Paris, France

Read More
Share

Pronto, aconteceu o que eu já esperava! Paris foi escolhida para sediar os jogos olímpicos de 2024.
Eu, particularmente sempre contra esse tipo de entusiasmo, confesso que fiquei contente e vou dizer para vocês o porquê.

Paris possui 95% da infra-estrutura necessária para organizar as Olimpíadas de 2024, mas ainda vai gastar cerca de US $ 3 bilhões para construir ou renovar sites. Este foi um dos principais argumentos da campanha olímpica: com instalações como o Stade de France, Roland Garros, Bercy, Arena-92, Jean-Bouin e Parc des Princes, já existentes e em bom estado. A maior parte do investimento será para construir a futura vila olímpica no subúrbio de Saint-Denis.

Muitos dos locais de competição estarão localizados ao longo do rio Sena, que serão limpos para a ocasião, para hospedar os eventos nadando em águas abertas. E isso para quem mora em Paris já é um grande presente! Poder nadar no rio como fazem os habitantes de Berna na Suiça no seu transparente rio Aar.

Entre os sites que servirão de vitrine para os eventos olímpicos, estão os monumentos históricos, que atraem milhões de turistas a cada ano, como o Champ-de-Mars, os Invalides, o Grand Palais ou os Champs-Elysées, onde a chegada do evento de ciclismo acontece.

A outra razão por estar feliz é o fato que Paris vai converter à comunidade esses investimentos quando os jogos terminarem, como tem feito Londres com sucesso. Aqui temos certeza que essas obras não vão acabar em abandonos como Pequim, Atenas e Rio de Janeiro. Vive la France 2024!

 

Read More
Translate »